sexta-feira, 19 de maio de 2017

Emoção despida



Sei que tudo é efêmero e que muitas vezes somos estúpidos em acreditar.
Sei que o mundo gira e giramos com ele como uma roda gigante sem fim.
Sei que nem sempre as coisas acontecem na hora certa, então vagamos como que sem destino.
Sei que muitos caminhos me afastam de ti, mas quero que me aproximar mais.
Tantos desencontros, tanta coisa que não vivemos que sinto saudades do inexistente
Como em filmes antigos, vejo minha vida muitas vezes em preto e branco, mas lá vem você trazer o colorido que necessito.
Sabiamente me despe e me surpreende , me chama e some.
Aparece outra vez e de novo faz comigo o que o meu coração deseja e sonha.
Você é minha fuga, meu caminho de calor nos dias de frio.
Acende a chama gasta, abrilhanta os meus passos e me mata com um simples olhar.
Ah! Se você soubesse o que faz comigo cada vez que sorri, que me olha e que me chama outra vez.
Felicidade é te ver, alegria é te sentir e o melhor da vida é te amar...


sábado, 29 de abril de 2017

Desejo...



Desejo que sua boca e a minha se entrelacem
Desejo que seu abraço seja único, que seu cheiro venha me envolver
Desejo que você durma ao meu lado para lhe acariciar os cabelos
Desejo que os momentos ao seu lado durem para sempre...
Fico imaginando nós dois, bailarinos deste musical chamado: VIDA
Eternamente ligados ao laço mais indestrutível deste espetáculo: o AMOR
Gosto quando você chega e me diz que tudo é fácil, que tudo é passageiro, que tudo não passa de um grande ensaio..
Seu jeito de olhar
De falar
De me levar para outro mundo, o tornam tão especial
Vem... Me faz feliz e arranca um pouco de mim...




sábado, 22 de abril de 2017

AMOR, PAIXÃO E OUTRAS RAZÕES




Se tu vens de repente, meu coração esquenta de paixão
Se você se vai sem dizer adeus, uma névoa encobre meu coração
Se uma lágrima cai dos teus olhos melosos de amor, cai em mim também uma eterna dor
Dor por sua dor
Amor por seu amor
Paixão por sua paixão...
É tão confuso, amor... 
Tão puro o teu sabor
Tão fundo teu olhar
Tão meigo seu jeito de me tocar...
Que mesmo em tempos de outrora, nunca vivi o que vivo agora
Mesmo assim, de longe, sei que pensas em mim
Sei que sabes também do meu amor sem fim 
E mesmo que este não seja dito em palavras, vamos vivendo nosso conto de fadas
No nosso mundo, só nós dois sabemos quem somos
O que fomos e o que nos tornamos.
Vamos subir nos telhados e gritar
Que por amor, vale a pena se entregar... 



terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Era Bárbara , era Bella





Era mar, era sertão
Era paz... Solidão
Era pó... Arrastão
Trovoada... Mansidão
Era morte, era paixão
Era vida, era união
Todas elas... Uma junção
Em todas as vielas, existia uma canção
Que sentinela... Esconde um coração
Onde cabem todas elas... Assim, na palma da mão.
















NOTA: Fiz estes versos no carro de volta para casa, depois de uma jornada de doação e autoconhecimento.


sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Correnteza...

Se não te quiserem mais... Esqueça!
Se não querem mais você por perto... Desista!
Se te confundirem com inimigo... Não discuta!
Não crie caso, não se imponha, não se altere... Espere !
Espere pois tudo que há um começo há também um fim, tanto para as coisas boas quanto para as coisas ruins.
Aquele que te desprezou no olhar, nas palavras e nos gestos, um dia irá enxergar que a vida não é mais colorida sem você por perto.
Que o riso sem você não é mais sincero, que há nuvens no céu mesmo em dias ensolarados...
Que as cores do arco-íris estão desbotadas e que a única centelha de esperança está no seu olhar... E ele está distante.
Mas o mundo dá voltas e um dia, se o destino quiser, os olhares se encontrarão e os beijos voltarão... E os abraços se tornarão rotina e você por dentro se sentirá como uma menininha...
Se um dia isso acontecer, não relute, não deixe que o orgulho dite as regras... Apenas se deixe levar pleo curso do rio que vai... Vai... Vai... E acaba na nascente.


sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Saudades...


Hoje estou saudosa...
Saudosa do tempo de outrora, onde eu podia andar sem demora... Cabelos ao vento, lá no alto do pé de acerola.
Saudades do tempo em que ficava com o rosto sujo de lama e amava ver os pássaros cantando na janela... E o sol, ah! Esse vivia em aquarela.
Saudades do tempo de menina, de empinar pipas, andar descalça sem preocupação, mas chegar em casa e ouvir um sermão!
Saudades do beijo no rosto, do afago carinhoso e dos ventos do mês de agosto.
Saudades da goiabada da vovó e do penteado que ela em mim fazia, estilo rococó.
Saudades de um tempo que nem mesmo vivi...
Saudades dos beijos que nem mesmo dei...
Saudades dos prazeres que não tive, dos abraços que partiram e dos olhos que nunca se viram...
Saudades sem fim de um tempo que passou por mim...





quinta-feira, 24 de novembro de 2016

SÓ ESCREVO

Escrevo para ter liberdade, para conseguir expressar o que realmente sinto e que não tenho coragem ou vontade de contar para ninguém...
Escrevo sobre a lua, sobre o sol, sobre as estrelas... Gosto quando eu e  papel somos um só, me transporto para outro mundo onde, na minha concepção, não está de cabeça para baixo como este em que vivemos.
Escrevo para guardar na memória da alma de quem eu amo, minha marca, meu mundo, meus pensamentos e desejos. Escrevo porque sou livre!!!!
Sou livre para o amor, para o calor, para o desejo que vem ao meio dia, para a chama que vem a meia noite. Escrevo porque assim me sinto mulher, me sinto outra, me sinto distante de tudo, me sinto próxima de nada.
Sou a lenda que se move pelos campos, sou a ventania que passa quebrando tudo... Sou calmaria e tempestade, porque escrevo sobre o que se move dentro de mim.Não tenho cartilha, não tenho mapas, é difícil de me entender... Então... Nem tente!
Me sinta somente...
Me ame somente...
Me tome somente...
Me envolva somente...
Somos todos um só, somos todos humanos e cada qual do seu jeito, podemos transformar esse mundo em um lugar de gente louca de amor... E embriagados de alegria podemos nos dar as mãos e nos amar para sempre, sempre, sempre..